San Pedro de Atacama: Vale da Lua e Vale da Morte

O primeiro dia em San Pedro de Atacama foi desafiador e esperançoso. Desafiador, pois pela manhã saímos para pesquisar as agências que contrataríamos para os tours. Logo no café da manhã perguntei a outra hospede do hostel em qual agência ela tinha ido e ela me deu um folheto de algumas agências e algumas dicas. Saímos com o objetivo de pesquisar todos os passeios que tínhamos planejado, mas apenas saber os valores não bastava, buscávamos por agências que oferecessem o melhor custo-benefício. Esperançoso devido a ansiedade e empolgação em querer conhecer todos aqueles lugares.

O primeiro passeio que fechamos foi o que estávamos buscando fazer naquele mesmo dia pela tarde: Valle de la Luna e Valle de la Muerte.

Saímos as 16h em direção a Piedra del Coyote. Este lugar também é conhecido por outro nome, Mirador de Kari, e é um mirante em que se pode observar uma das paisagens mais conhecidas da Cordilheira de Sal.

SAM_1318 - Copia

Piedra del Coyote

SAM_1323 - Copia

SAM_1332 - Copia

Panorâmica da Piedra del Coyote

Seguimos ao Valle de la Muerte. O Vale da Morte é um vale montanhoso e arenoso que se encontra a aproximadamente 3 km de San Pedro de Atacama. a origem do seu nome é incerta e curiosa. Uns dizem que faz referência ao ambiente inóspito, pelo fato de não sustentar vida alguma, mas outros dizem que antigamente o vale era chamado Vale de Marte, devido a sua coloração avermelhada, e que ao longo dos anos a pronúncia mudou e ficou conhecido como Valle de la Muerte, ou Vale de Marte.

SAM_1348 - Copia.JPG

Valle de la Muerte

SAM_1367 - Copia

Valle de la Muerte

SAM_1379 - Copia

Siiim, eu estou ali bem no meio da foto! hahaha

Depois fomos ao Valle de la Luna, ou, em português, Vale da Lua. O vale está a 2.550 metros acima do nível do mar e a 16 km de San Pedro e também faz parte da Cordilheira de Sal. Tem esse nome por conta da sua formação ser parecida com a superfície lunar e é composto de rochas sedimentares com fragmentos de sal, gesso, argila, clorato, borato.
Neste vale montanhoso há cânions, cavernas e praticamente toda a superfície é coberta de sal, que é visível, devido a coloração esbranquiçada.

A Cordilheira do Sal está entre a Cordilheira de Domeyko e a Cordilheira dos Andes. A geologia da Cordilheira do Sal é resultado das transformações dos movimentos tectônicos e há uma teoria em que diz que ali existiu um grande lago, ou mar, interior e que devido as dobras sedimentares, ao passar dos milhões de anos e as erosões, há hoje o que conhecemos como Cordilheira do Sal.

A entrada para o Valle de la Luna é de $2.000 pesos chilenos para adultos, $1.500 para estudantes, pessoas de terceira idade pagam $1.000 e menores de 12 anos pagam $500. A administração é feita pela Asociación Indígena Valle de la Luna, composta por 6 comunidades atacamenhas locais.

No primeiro momento visitamos uma caverna chamada Cuevas de Sal. Antes de entrar o guia avisa como será o trajeto e fala que se alguém não quiser ir pode esperar por ali mesmo. Do nosso grupo todas as pessoas foram.

Dentro da caverna as únicas luzes que existem são as das lanternas e celulares, há lugares que tem passar bem abaixado, e nessa hora, ser baixinha ajuda bastante! hahah
Mas, de modo geral, o trajeto da caverna não apresenta dificuldades.

Ao sairmos da caverna temos uma área muito grande em que podemos caminhar e aproveitar a paisagem.

SAM_1414 - Copia

SAM_1418 - Copia

Saída da caverna Cuevas de Sal

Seguimos adiante para a formação “Três Marias”, uma formação geológica natural que aparenta três mulheres orando.

SAM_1440 - Copia

Três Marias do Valle de La Luna. (Infelizmente a primeira “Maria”, da esquerda, foi quebrada a alguns anos atrás)

SAM_1448 - Copia.JPG

SAM_1451 - Copia.JPG

E, por fim, fomos para o último ponto de nosso tour: ver o pôr do Sol na Duna Mayor. Como o próprio nome já revela, é uma enorme duna de areia e pedra, em que se pode desfrutar de uma vista panorâmica da Cordilheira do Sal e é um dos melhores lugares para ver o pôr do Sol. Nesse momento o guia diz que podemos escolher nossos lugares, escolher o lugar que queremos ficar para ver o pôr do Sol. Há os que preferem subir bem alto, no topo das montanhas e há os que preferem permanecer nos lugares mais baixos da duna.

SAM_1461 - CopiaSAM_1458 - CopiaSAM_1481 - CopiaSAM_1478 - Copia

A vista de lá de cima é incrível! E o pôr do Sol também! Uma dica: após o sol se pôr, o calor vai embora e o vento gelado dá bastante frio, por isso é importante levar uma blusa para o momento de descida da duna.

 

SAM_1476 - Copia

Anfiteatro do Valle de La Luna

2015-03-06 19.50.19 - Copia.jpg

Anfiteatro do Valle de La Luna

2015-03-06 19.46.35.jpg

2015-03-06 19.46.48.jpg

2015-03-06 19.50.37.jpg

Pôr do Sol na Duna Mayor no Valle de La Luna

SAM_1512

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s